Repositório

Aprendizagem Potenciada pela Tecnologia no Ensino Superior: Construção de um Referencial de Qualidade

A utilização da tecnologia como mediadora do processo de ensino e de aprendizagem tem sido um aspeto incontornável no Ensino Superior e nas prioridades institucionais. A sua utilização tem sido, no entanto, mais norteada por um paradigma de disponibilização em vez de ser norteada por um paradigma de potenciação. Este estudo procura discutir o papel da tecnologia como potenciadora da aprendizagem, através da introdução de um conceito de aprendizagem potenciada pela tecnologia. Nesse sentido o estudo procura apresentar um referencial de qualidade dos pressupostos para a existência de uma aprendizagem potenciada pela tecnologia que permita orientar os diversos atores para práticas de qualidade na utilização da tecnologia e facilitar o desenho de instrumentos de avaliação, autoavaliação e monitorização.

Ano: 2014
Autor(es): Diogo Casanova
Editora: Tese de doutoramento
Repositório

Twitter em contexto académico/profissional: Estudo de caso

Este estudo visa compreender, por um lado, de que forma as pessoas usam o Twitter integrado dentro do seu PLE (Personal Learning Environment) em contexto académico/profissional, e por outro, de que modo poderão alterar os seus comportamentos e práticas, depois de passarem por um processo de aprendizagem formal da ferramenta. Uma das principais características do Twitter é que qualquer indivíduo pode usá-lo como ferramenta de atualização imediata de informação em tempo real partilhando rapidamente qualquer tipo de informação ou interagindo com qualquer outro utilizador. A forma como o conseguirmos maximizar dentro um PLE torna-se fundamental no atual panorama da sociedade da informação e conhecimento, quer em contextos formais, quer informais de aprendizagem/formação. Para o estudo desta relação tomaram-se como referenciais teóricos os conceitos de PLE – Personal Learning Environment e Micro-blogging. Procedeu-se a um estudo de acordo com o paradigma de investigação da Design-Based Research junto de uma comunidade virtual de aprendizagem num contexto formal de aprendizagem académica/profissional, sendo utilizados como instrumentos de recolha de dados, o inquérito por questionário aos estudantes assim como a análise de conteúdo da comunicação/interação desenvolvida pelos membros da comunidade virtual de aprendizagem – estudantes e professores nos diversos espaços das ferramentas, ou seja, no PLE, ao longo das diferentes momentos e atividades de aprendizagem propostas.

Ano: 2013
Autor(es): Paulo Simões
Editora: Universidade Aberta
Projeto

EMMA – providing multilingual access to European MOOCs

O European Multiple MOOC Aggregator (designado como EMMA), é uma acão-piloto de 30 meses apoiada pela União Europeia. Destina-se a mostrar a excelência em metodologias inovadoras de ensino e abordagens de aprendizagem por meio da criação de MOOCs-piloto em grande escala sobre assuntos diversos. O projeto EMMA irá fornecer um sistema de disponibilização de cursos online livres e abertos em vários idiomas a partir de diferentes universidades europeias, de forma a ajudar a preservar a rica herança cultural, educativa e linguística da Europa e para promover a aprendizagem intercultural e multilingue.

EMMA vai funcionar em dois modos principais: como um sistema agregador e de alojamento de cursos produzidos por universidades europeias ; e como um sistema que permite aos alunos a construção de dos seus próprios cursos utilizando unidades de MOOCs como blocos de construção. A equipa EMMA recorre a uma abordagem deliberada multi-lingual, multi-cultural de aprendizagem, oferecendo serviços de tradução e transcrição embutidos para cursos alojados na plataforma.

O projeto é co-financiado pelo Programa-Quadro para a Competitividade e a Inovação (CIP).

Entidade parceria portuguesa:  Universidade Aberta.

http://europeanmoocs.eu/

Data: 2014 - 2016
Promotor: Università degli Studi di Napoli Federico II
Projeto

TALOE – Time to Assess Learning Outcomes in E-learning

O principal objetivo do projeto TALOE é desenvolver uma plataforma baseada na web para ajudar os professores e formadores no processo de decisão sobre as estratégias de e-avaliação a usar nos seus cursos online. A ideia principal é que um professor/formador irá descrever os resultados de aprendizagem de seu curso ou módulo, e a plataforma TALOE irá analisá-los e fornecer uma estratégia de e-avaliação que seja coerente com a aprendizagem pretendida.

Referência:  543097-LLP-1-2013-1-PT-KA3-KA3MP

Data: 2014 - 2016
Promotor: Universidade do Porto
Quem é quem

José Carvalho

Licenciado em Ensino de Português-Francês, especializado em recursos didáticos e pós-graduado em Sistema de Informação pela Universidade do Minho. Colaborou nos primeiros passos do RepositóriUM da Universidade do Minho e no projeto Bumerang, uma aplicação p2p para partilha de conhecimento. Foi colaborador do Centro e-Learning da TecMinho como técnico pedagógico e gestor das tecnologias de apoio ao e-Learning e m-Learning. Esteve, ainda, envolvido na criação do repositório aberto de conteúdos educativos. Desde Julho de 2008 que integra o Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho e está afecto à gestão de projetos nacionais e internacionais (RCAAP, Necobelac, Foster).

Categorias: Consultor, Formador, Perito
Repositório

Formação de professores a Distância: A experiência da Universidade Aberta de Portugal

Pretendemos apresentar sucintamente a experiência de formação de docentes a distância desenvolvida pela Universidade Aberta de Portugal, iniciada nos anos 90, dando conta da evolução desse modelo de formação e da forma como se concretiza atualmente. Esta evolução encontra-se, intrinsecamente ligada ao profundo desenvolvimento tecnológico das últimas décadas que determinou mudanças significativas nos tradicionais sistemas de ensino a distância. Damos conta da profunda mudança educacional nestes sistemas, onde a comunicação em ambientes online veio proporcionar a criação de novos contextos de aprendizagem. Aborda-se o caso particular da Universidade Aberta e os princípios do seu modelo pedagógico virtual que enquadra a atual oferta pedagógica, incluindo o processo de formação profissional de professores em curso. Procuramos apontar, sucintamente, um conjunto de princípios/propostas, norteadores do caminho a seguir na atual formação de  professores, tendo em vista a construção de uma profissionalidade docente que conduza ao regresso dos professores ao centro das preocupações educativas (Nóvoa, 2005); por último, pretende-se lançar a reflexão sobre o possível contributo dos novos contextos de aprendizagem online no âmbito das propostas enunciadas.

Ano: 2011
Autor(es): Lúcia Amante
Quem é quem

José Bidarra

Professor na Universidade Aberta onde leciona regularmente unidades curriculares nas áreas de narrativas digitais, multimédia e e-learning, para além de exercer várias funções de coordenação académica. As suas atividades de investigação estão centradas nas áreas do e-learning, ebooks, jogos e media digitais, tendo a seu cargo a orientação de diversas teses de mestrado e de doutoramento. Colabora frequentemente em projetos transnacionais e presta serviços pontuais de consultadoria e formação profissional junto de diversas organizações.

Categorias: Consultor, Formador, Perito, Professor
Entidade: Universidade Aberta
Repositório

Moodle 2 para Professores

Redigido de forma clara e direta, este livro vai dotá-lo dos conhecimentos e aptidões necessárias à criação de conteúdos e atividades pedagógicas, potenciando o desempenho do papel de Professor. Simultaneamente acessível e abrangente, explica, através de instruções simples e imagens, como funciona este ambiente de aprendizagem, proporcionando exemplos de boas práticas e sugestões para tirar o melhor partido do Moodle 2.

Ano: 2012
Autor(es): António Vilela
Editora: Ed-Rom - Produção de Conteúdos Multimédia, Lda.
Repositório

A Acessibilidade das Plataformas de Elearning em Instituições de Ensino Superior Público em Portugal: Contributos Iniciais

Num mundo cada mais monopolizado pelas tecnologias da informação e da comunicação em que o ensino e a educação passam, cada vez mais, por uma modalidade de elearning, a acessibilidade é um conceito que se distingue pela sua utilidade. Estudos efetuados sobre a acessibilidade dos sites da Administração Pública em Portugal revelam lacunas graves no cumprimento da legalidade. A legislação (Lei nº 36/2011 e RCM 91/2012) existente em Portugal está ainda longe de ser cumprida com efetividade. O recente estudo da unidade Acesso (2013) mostrou, ainda, que a acessibilidade dos sítios web das instituições de ensino superior português se encontra com um índice de conformidade com as WCAG que está no limiar da avaliação das notas positivas. Por estes dois motivos, o presente estudo procura analisar a acessibilidade da página inicial das plataformas de elearning das instituições de ensino superior públicas de Portugal. Foi através do validador automático AcessMonitor criado pela Unidade Acesso da FCT que se efetuou uma análise por instituição, índice e nível de conformidade e principais erros das página iniciais das plataformas de elearning de acordo com as Diretrizes de Acessibilidade para o Conteúdo Web 2.0 das instituições de ensino superior públicas portuguesas que tenham uma plataforma ‘mãe’, excluindo-se desta análise aquelas que não satisfaçam este requisito. Os resultados obtidos revelaram que no domínio das instituições de ensino superior público português as página iniciais das plataformas de elearning manifestam graves falhas tanto no índice como no nível de conformidade para com as referidas diretrizes e os principais erros são comuns aos dois grupos de instituições de ensino superior analisadas.

Ano: 2014
Autor(es): Cecília Cristina dos Reis Tomás
Quem é quem

António Vilela

Director Geral da ED-ROM – Produção de Conteúdos Multimédia desde 2002, empresa Moodle Partner em Portugal, vocacionada para a produção de conteúdos multimédia para a área do e-learning. Responsável pela implementação de Plataforma de ensino on-line em diversos clientes da ed-rom como o Instituto de Meteorologia, o INDEG/ISCTE, o Instituto de Formação Bancária de Moçambique, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Instituto de Meteorologia, entre outros. A paixão pelo e-learning começou em 1997, com a sua grande participação o projeto de sensibilização para a Engenharia Financeira promovido pelo IAPMEI e consubstanciou-se no ano 2000, sendo responsável pela implementação de um curso de pós-graduação em Finanças totalmente online no CEMAF/ISCTE, ficando assim para sempre associado a estas iniciativas pioneiras de e-learning em Portugal. Movido pela crença que era possível fazer e-learning de qualidade, por um custo aceitável, e que a qualidade não se mede pela quantidade de botões, imagens, vídeos e animações, mas sim pela capacidade de motivar os alunos, pela eficácia pedagógica e pelos resultados de aprendizagem obtidos, quando foi confrontado com o projeto Moodle, teve um caso de amor à primeira vista. Em 2006 fechou finalmente o acordo de parceria com o Moodle tornando a ED-ROM na única empresa Moodle Partner em Portugal.

Categorias: Consultor, Formador, Professor
Entidade: ED-ROM – Produção de Conteúdos Multimédia