Repositório

E-Learning in European Higher Education Institutions – Results of a Mapping Survey Conducted in October-December 2013

O presente estudo sobre e-learning pretende contribuir para colmatar uma lacuna de dados e estimular a discussão sobre o desenvolvimento de políticas nacionais e europeias sobre a questão . Baseia-se numa pesquisa realizada pela EUA – European University Association, entre Outubro e Dezembro de 2013. 249 respostas de instituições de ensino superior, na sua maioria de universidades, de 37 países europeus foram recebidas.
Enquanto que a amostra foi auto-selecionada, esta representa quase um terço dos membros da EUA.
A pesquisa questionava sobre o tipo de e-learning que as instituições utilizam, as suas experiências nesta área e suas expectativas para o futuro. Considerou blended learning e on-line em vários formatos. Dado o forte interesse em MOOCs, uma grande parte do relatório é dedicada a este tema. O estudo também colocou questões relativas às estruturas de suporte e serviços, a coordenação intra-institucional, garantia de qualidade e de reconhecimento.

Ano: 2014
Autor(es): Michael Gaebel, Veronika Kupriyanova, Rita Morais, Elizabeth Colucci
Editora: European University Association
Repositório

Despacho n.º 8857/2014 – aprova o Regulamento que estabelece as condições e procedimentos a aplicar na certificação de entidades formadoras, na homologação de ações de formação de cursos criados pelo Ministério da Agricultura e do Mar

A propósito do e-Learning: o Despacho n.º 8857/2014 aprova o Regulamento que estabelece as condições e procedimentos a aplicar na certificação de entidades formadoras, na homologação de ações de formação de cursos criados pelo Ministério da Agricultura e do Mar e os consequentes requisitos gerais de realização dessas ações, no acompanhamento das ações de formação por parte das entidades certificadoras e na avaliação de aprendizagem. O Art.º 7, alínea 6 do referido Despacho refere que “As ações enquadradas na formação a distância em regra realizadas em b-Learning organizam-se em sessões em linha, síncronas e assíncronas, integradas em sessões presenciais (…)”.

Ano: 2014
Autor(es): Diário da República, 2.ª série — N.º 130 — 9 de julho de 2014 (Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural)
Editora: Diário da República, 2.ª série — N.º 130 — 9 de julho de 2014
Quem é quem

Nuno Pena

Desde 2011, desempenho funções de Diretor da UnYLeYa (empresa de e-Learning do Grupo LeYa), sendo responsável pelo desenvolvimento de soluções de e-Learning e b-learning à medida para contextos de formação profissional, tendo como base estratégias inovadoras de instructional design para a formação de adultos e suportadas em ferramentas tecnológicas avançadas. De 2006 a 2011, desempenhei funções de Diretor de Formação (Chief Learning Officer) na Associação Portuguesa de Seguradores. Fui também fundador e responsável pela Academia Portuguesa de Seguros, entidade que desenvolve Cursos de Pós-Graduação, Cursos de curta, média e longa duração, num total de 200 cursos por ano (formato presencial, b-learning e e-learning), tendo por alvo os cerca de 22.000 profissionais das áreas de Seguros, Banca e Crédito Especializado em Portugal, bem como em alguns Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Entre 2000 a 2006, fui Diretor de Formação Blended-Learning e Gestor de Unidade de Negócios e-Learning em duas empresas de consultoria em Portugal (EMELES e Sinfic). Atualmente investigador de Pós-Doutoramento no ADVANCE – Centro de Investigação Avançada em Gestão do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), Investigador Colaborador da Unidade de Investigação Educação e Desenvolvimento – UIED (Faculdade de Ciências e Tecnologia – Universidade Nova de Lisboa), Doutorado em Gestão, especialidade em Gestão da Informação (Universidade Aberta), Mestre em Comunicação Educacional Multimédia (Universidade Aberta), Pós-Graduado “Formação Educacional” – Ciências da Educação (FCSH, UNL) e Licenciado em Filosofia (FCSH, UNL). Colaboro ainda como revisor em algumas revistas académicas e faço parte do IADIS International e-Learning Conference e do International Institute for Applied Knowledge Management (IIAKM).

Categorias: Consultor, Perito, Professor
Entidade: UnYLeYa
Repositório

O Universo em expansão… : a formação de activos com recurso a metodologias de elearning

A formação profissional contínua em Portugal deve ser amplamente estimulada, face à necessidade de adaptação das pessoas e das organizações às exigências decorrentes de uma presença competitiva na Sociedade Global, que será facilitada pelo acréscimo do capital de conhecimento que promoverem. O eLearning é um conjunto de metodologias e estratégias de desenvolvimento de ensino-aprendizagem sustentadas nas Tecnologias da Informação e Comunicação, facilitador do sucesso do percurso formativo e da transferência de competências para os contextos de trabalho, com um grande potencial na formação de activos. Em contextos de formação que integrem situações de ensino a distância, permite flexibilidade na gestão do tempo e redução da obrigatoriedade de deslocação física dos formandos, podendo implicar redução de custos. É porém necessário vencer resistências à utilização das Tecnologias no ensino e formação profissional em Portugal e promover a utilização do eLearning, tanto no lado da oferta como da procura, face ao seu potencial de sucesso, o que poderá ser facilitado através do estudo de casos de formação já realizados com activos portugueses. A partir de informação partilhada online, este trabalho elabora uma narrativa sobre o ensino e formação em contextos de eLearning em Portugal. Fundamenta-se a percepção de que o eLearning se encontra numa fase precoce de adopção, percorrendo indicadores e estudos sobre o ensino superior em Portugal. De investigação sobre representações de informantes em contextos de ensino superior, emergem conclusões sobre factores críticos na resistência a mudanças conceptuais e de práticas.

Ano: 2013
Autor(es): Ana Paula Sintra Salvo Paiva
Quem é quem

José Carvalho

Licenciado em Ensino de Português-Francês, especializado em recursos didáticos e pós-graduado em Sistema de Informação pela Universidade do Minho. Colaborou nos primeiros passos do RepositóriUM da Universidade do Minho e no projeto Bumerang, uma aplicação p2p para partilha de conhecimento. Foi colaborador do Centro e-Learning da TecMinho como técnico pedagógico e gestor das tecnologias de apoio ao e-Learning e m-Learning. Esteve, ainda, envolvido na criação do repositório aberto de conteúdos educativos. Desde Julho de 2008 que integra o Gabinete de Projetos Open Access dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho e está afecto à gestão de projetos nacionais e internacionais (RCAAP, Necobelac, Foster).

Categorias: Consultor, Formador, Perito
Quem é quem

José Bidarra

Professor na Universidade Aberta onde leciona regularmente unidades curriculares nas áreas de narrativas digitais, multimédia e e-learning, para além de exercer várias funções de coordenação académica. As suas atividades de investigação estão centradas nas áreas do e-learning, ebooks, jogos e media digitais, tendo a seu cargo a orientação de diversas teses de mestrado e de doutoramento. Colabora frequentemente em projetos transnacionais e presta serviços pontuais de consultadoria e formação profissional junto de diversas organizações.

Categorias: Consultor, Formador, Perito, Professor
Entidade: Universidade Aberta
Repositório

Moodle 2 para Professores

Redigido de forma clara e direta, este livro vai dotá-lo dos conhecimentos e aptidões necessárias à criação de conteúdos e atividades pedagógicas, potenciando o desempenho do papel de Professor. Simultaneamente acessível e abrangente, explica, através de instruções simples e imagens, como funciona este ambiente de aprendizagem, proporcionando exemplos de boas práticas e sugestões para tirar o melhor partido do Moodle 2.

Ano: 2012
Autor(es): António Vilela
Editora: Ed-Rom - Produção de Conteúdos Multimédia, Lda.
Repositório

Qualidade em ambientes b-learning: Dimensões, critérios e aproximações pedagógicas

A combinação entre a crescente oferta de soluções educativas mediadas pelas tecnologias web e a pressão social e política para as adotar acarreta novas exigências e desafios relativamente às ofertas proporcionadas, exigindo uma maior flexibilidade, proatividade e capacidade para acompanhar as mudanças e as características voláteis do seu público-alvo. Para uma integração eficiente, é fundamental avaliar as necessidades de tomada de decisão, de transformações organizacionais e de comportamento individual. O sucesso da aprendizagem mediada pela tecnologia depende fortemente da combinação harmoniosa do uso correto das tecnologias com as pedagogias mais eficientes, permitindo a implementação de oportunidades de ensino aprendizagem inovadoras, autênticas e diversificadas, requerendo a necessidade de se trabalhar a três níveis genéricos – institucional, técnico/tecnológico e pedagógico. O nível institucional inclui aspetos relacionados com a gestão (interna e com parcerias externas) e ética bem como o apoio
dado ao projeto pela instituição. Sem o apoio claro da gestão de topo da instituição, é difícil conseguir ter sucesso num projeto de b-learning e alcançar toda a organização. Tal significa que qualquer avaliação de um serviço de b-learning deve considerar o ambiente institucional e técnico/tecnológico, para além da componente pedagógica. A qualidade destas dimensões vai refletir-se no sucesso obtido.
O artigo descreve os principais elementos a considerar no sentido de garantir a qualidade de um sistema de e/b-learning.

Ano: 2014
Autor(es): Paula Peres, Luís Lima, Vanda Lima
Quem é quem

António Vilela

Director Geral da ED-ROM – Produção de Conteúdos Multimédia desde 2002, empresa Moodle Partner em Portugal, vocacionada para a produção de conteúdos multimédia para a área do e-learning. Responsável pela implementação de Plataforma de ensino on-line em diversos clientes da ed-rom como o Instituto de Meteorologia, o INDEG/ISCTE, o Instituto de Formação Bancária de Moçambique, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, o Instituto de Meteorologia, entre outros. A paixão pelo e-learning começou em 1997, com a sua grande participação o projeto de sensibilização para a Engenharia Financeira promovido pelo IAPMEI e consubstanciou-se no ano 2000, sendo responsável pela implementação de um curso de pós-graduação em Finanças totalmente online no CEMAF/ISCTE, ficando assim para sempre associado a estas iniciativas pioneiras de e-learning em Portugal. Movido pela crença que era possível fazer e-learning de qualidade, por um custo aceitável, e que a qualidade não se mede pela quantidade de botões, imagens, vídeos e animações, mas sim pela capacidade de motivar os alunos, pela eficácia pedagógica e pelos resultados de aprendizagem obtidos, quando foi confrontado com o projeto Moodle, teve um caso de amor à primeira vista. Em 2006 fechou finalmente o acordo de parceria com o Moodle tornando a ED-ROM na única empresa Moodle Partner em Portugal.

Categorias: Consultor, Formador, Professor
Entidade: ED-ROM – Produção de Conteúdos Multimédia